agende-sua-consulta

Dilatação esofágica é um procedimento que permite ao médico dilatar, ou abrir, uma área estreitada do esôfago (estenose). Há várias técnicas que podem ser usadas com este propósito. Pode ser realizada com auxílio direto da endoscopia ou, alternativamente, através de sondas dilatadoras calibradas passados através da boca para o esôfago.

A causa mais comum de estreitamentos, ou estenoses, do esôfago é a fibrose cicatricial do esôfago decorrente de esofagites por refluxo do ácido do estômago. Pacientes com uma porção do esôfago estreitada frequentemente têm problemas para engolir; a comida parece ficar presa na região do peito causando desconforto ou dor.

Causas não tão freqüentes são danos ao esôfago após ingestão de substâncias cáusticas, anéis (finas camadas de tecido excessivo), câncer do esôfago, cicatrizes após radioterapia ou algum problema com a motilidade do órgão (a maneira como a musculatura esofágica trabalha).

Tempo de duração do exame: de 30 a 45 minutos.

Preparação para o exame: o estômago deve estar vazio, então você deve estar em jejum por pelo menos 8 horas antes do procedimento. O médico lhe informará quando iniciar o jejum.

Comunique com antecedência sobre o uso de medicamentos, particularmente aspirina, anticoagulantes e remédios para “afinar o sangue”. A maioria dos remédios podem ser continuados como de costume, mas podem ser necessários ajustes antes do exame.

Avise se tem alguma alergia a medicamentos assim como condições médicas como doenças cardíacas e pulmonares. Também avise se você requer antibióticos para procedimentos dentários, pois o paciente pode necessitar do antibiótico antes da dilatação também.

Como é feito o exame: o procedimento pode ser realizado sob sedação em conjunto com uma endoscopia. O médico borrifará um spray de anestésico local na garganta e administrará a sedação para ajudar o paciente a relaxar.

O endoscópio é então passado pela boca para o esôfago (e, se possível, ao estômago e duodeno). O endoscópio não interfere com a respiração. Neste ponto, o endoscopista definirá se usa um balão dilatador ou sondas plásticas sobre um fio-guia para realizar a dilatação.

Pode ocorrer uma sensação de pressão na garganta ou no peito durante o procedimento. Eventualmente, o procedimento deve ser feito com acompanhamento radiológico.

Cuidados pós-exame: Após a dilatação, o paciente ficará sob observação por um curto período de tempo e então estará liberado para casa. Você pode voltar a ingerir líquidos quando o anestésico não estiver mais causando adormecimento na garganta, a não ser que o médico dê outras instruções. A maioria dos pacientes não apresenta sintomas após o procedimento e pode voltar a comer no dia seguinte, mas pode ocorrer uma leve dor de garganta pelo resto do dia.

Se foi empregada sedação, o paciente será monitorizado na sala de recuperação até que esteja pronto para ir embora. Não deverá dirigir após o procedimento, mesmo que não se sinta cansado. Alguém deve acompanhá-lo para casa, pois a sedação pode afetar seus reflexos e julgamento pelo resto do dia.

.

.

.